Quando usar o pronome LHE

Quais frases estão corretas?

  • 1)  Vou lhe encontrar amanhã.
  • 2)  Gostaria de lhe convidar para o lançamento do meu livro.
  • 3)  Vou encontrá-la amanhã.
  • 4)  Gostaria de convidá-lo para o lançamento do meu livro.

 

Pronome “lhe” (lhes)

O pronome oblíquo átono “lhe” é usado somente com verbos transitivos indiretos, ou seja, que pedem preposição:

  • O diretor disse ao gerente que haverá mudanças. / O diretor lhe disse que haverá mudanças.
  • Entreguei as provas corrigidas aos alunos. / Eu lhes entreguei as provas corrigidas.
  • Lisa agradeceu ao amigo pela ajuda / Lisa agradeceu-lhe pela ajuda.

 

Pronome “o” (o, a, os, as, lo, la)

Usado somente com verbos transitivos diretos, ou seja, que não pedem preposição:

  • Vou encontrar Maria mais tarde. / Vou encontrá-la mais tarde.
  • Gostaria de convidar você para o lançamento do meu livro / Gostaria de convidá-lo para o lançamento do meu livro.
  • Eu não vi a professora. / Eu não a vi.

 

Errado: “O diretor lhe convidou para o cargo”. Certo: “O diretor o convidou para o cargo”. Quem convida convida alguém.

Errado: “Vou lhe ajudar”. Certo: “Vou ajudá-lo”. Quem ajuda ajuda alguém.

Errado: “Ele não vai obedecê-lo”. Certo: “Ele não vai lhe obedecer”. Quem obedece obedece a alguém.

Errado: “Eu lhe encontrei”. Certo: “Eu o encontrei”.

 

Embaixo ou em baixo?

Qual frase está correta?

1) Eu concordo e assino em baixo.

2) Eu concordo e assino embaixo.

Embaixo

É advérbio. Equivale a “em lugar inferior”; “por baixo”.

  • Eu concordo e assino embaixo.
  • O carro em que ele estava ficou preso embaixo do ônibus.

advérbio “embaixo” é sempre escrito junto, apesar do contraste com o antônimo “em cima” (exemplo de arbitrariedade gramatical).

Em baixo

A expressão “em baixo” somente se emprega quando a palavra “baixo” é adjetivo, ou seja, quando qualifica um substantivo:

  • Ele gosta de ouvir música em baixo volume.
  • Ela está falando em baixo tom de voz.
  • A resposta foi em baixo nível.

CRASE antes de locuções adverbiais de circunstância

Lembrando: crase é a fusão da preposição “a” com o artigo definido “a” .

As locuções adverbiais de circunstância (modo, meio, lugar, tempo) são formadas pela preposição “a” + substantivo ou adjetivo.  Ou seja, elas começam com a preposição “a” ou com o “a” craseado ( = preposição + artigo).

Nas locuções adverbiais masculinas, nunca há crase (pois o substantivo masculino não é determinado pelo artigo “a”). Exemplos:

  • a cavalo
  • a pé
  • a caminho
  • a gás
  • a gosto
  • a lápis
  • a nado
  • a óleo
  • a postos
  • a prazo
  • a sangue-frio
  • a sério
  • a vapor
  • a tiracolo

Nas locuções circunstanciais femininas, embora esse “a” possa ser só preposição, é de tradição acentuá-lo por motivo de clareza. Compare nos exemplos o sentido da frase com e sem o acento indicativo de crase:

  • Vendeu a vista (os olhos). Vendeu à vista.
  • Cheirava a gasolina. Cheirava à gasolina. (tinha o cheiro de)
  • É para receber a bala. É para receber à bala (com bala).
  • Lavar a mão. Lavar à mão.
  • Pagou a prestação. Pagou à prestação.
  • Tranquei a chave (a chave foi trancada). Tranquei à chave.
  • Bater a porta. Bater à (na) porta.
  • Lavar a máquina. Lavar à maquina.
  • Veio a tarde. Veio à tarde.

Nos casos acima, não funciona o artifício de ver como é que se comporta uma expressão similar no masculino, pois não haverá correspondência de “à” com “ao”. É uma exceção. Exemplo: à vista, a prazo.

Locuções adverbiais de modo e meio

1) Exemplos de locuções em que o acento indicativo de crase é de praxe: à espreita, à evidência, amor à primeira vista, andar à solta, assalto à mão armada, cortar à faca, cumprir o trato à risca, encontra-se à paisana, escreve à caneta, estou à disposição, ficar à vontade, modéstia à parte, viver à toa.

2) É facultativo o acento indicativo de crase quando não há confusão possível: barco a vela, carro a gasolina.

3) É obrigatório o acento quando o locução é formada por adjetivo: bife à milanesa, comer às escondidas, falar às claras, ficar às escuras.

4) É obrigatório o acento quando a locução termina em “de” e em “que”: à custa de, à força de, à frente de, à mercê de, à semelhança de, à medida que, à proporção que.

Locuções adverbiais de tempo de lugar

1) É obrigatório o acento nas locuções circunstanciais femininas de tempo e lugar em que se tem “a” + “a”, o que se comprova com a substituição do primeiro “a” por outra preposição. Exemplos:

  • à epoca (=na época)
  • à frente (=na frente)
  • à direita
  • à sombra
  • à beira-mar

2) Acentua-se todo tipo de locução adverbial  feminina quando o artigo e o substantivo estão no plural. Exemplos:

  • às mil maravilhas
  • às ordens
  • às vezes
  • às avessas
  • às centenas

CRASE antes de pronome possessivo (sua, minha, nossa)

Qual frase está correta?

  1. Dei um presente à minha filha.
  2. Dei um presente a minha filha.
  3. Ambas estão corretas.

Sabemos que a crase está condicionada ao uso simultâneo da preposição “a” com o artigo “a”.

É facultativo o uso da crase antes de pronomes possessivos femininos porque é facultativo o uso do artigo antes desses pronomes. Observe:

  • Minha avó tem setenta anos. //  A minha avó tem setenta anos
  • Minha irmã está esperando por você. // A minha irmã está esperando por você.

Sendo facultativo o uso do artigo feminino diante de pronomes possessivos femininos, então podemos escrever as frases abaixo das seguintes formas:

  • Cedi o lugar a minha avó.
  • Cedi o lugar à minha avó.
  • Diga a sua irmã que estou esperando por ela.
  • Diga à sua irmã que estou esperando por ela.

No entanto, é recomendável usar o acento indicativo de crase antes do pronome possessivo para evitar ambiguidades.

Exemplo:

  • Favor anexar a sua declaração de isento a sua identidade.

Anexar o que a quê? É preciso deixar isso claro com o uso da crase:

  • Favor anexar à sua declaração de isento a sua identidade.
  • Favor anexar a sua declaração de isento à sua identidade.

Outros exemplos em que a crase é importante para a clareza da mensagem:

  • Dobre à sua direita.
  • Disse à sua advogada que é inocente.
  • Entregue [isso] à minha mãe.
  • Peço que junte à nota fiscal a sua fotografia.
  • Coloco-me à sua disposição.

Ela mesmo fez ou Ela mesma fez?

Qual frase está correta?
– Ela mesmo fez a torta.
– Ela mesma fez a torta.

A palavra “mesmo” pode ser usada no seguintes casos:

1) Equivalendo a “próprio”, “em pessoa”, “exato”, “idêntico”, “tal qual”, situação em que é pronome de reforço (*) ou adjetivo (**) e, desse modo, variável:

Eles mesmos resolveram a questão. // Ela mesma resolveu a questão. // Elas mesmas resolveram isso. (*)
Foi pelo mesmo caminho. // Ela usou a mesma roupa. (**)

2) Com o sentido de “justamente”, “até”, “ainda”, “realmente”, funcionando como advérbio e, portanto, invariável:

A cantora é mesmo boa.
Esta notícia é mesmo verdadeira?
Há mesmo necessidade de fazer isso?
É aqui mesmo que eu moro.

3) Equivalendo a “embora”, “apesar de”. Nesse caso, é uma conjunção concessiva.

Mesmo exausta, não deixa de praticar atividades físicas.
Mesmo diante de provas, o réu ficou silente.

4) Significando “a mesma coisa”, com valor de substantivo (invariável, no masculino).

Eu disse o mesmo a ela.
Fato alegado e não provado é o mesmo que fato inexistente.

Atenção:

Não se deve usar “o mesmo” ou “a mesma” no lugar de pronome pessoal. Não chega a ser um erro gramatical, mas é um uso deselegante dessa palavra.

Frase inadequada: “Falei com o professor e o mesmo me prometeu entregar as notas amanhã”.
Frase adequada: “Falei com o professor e ele me prometeu entregar as notas amanhã”.

Frase inadequada: “Busque os documentos e verifique se os mesmos estão assinados”.
Frase adequada: “Busque os documentos e verifique se eles estão assinados”.

CRASE antes de nomes próprios geográficos

Lembrando: crase é a fusão da preposição “a” com o artigo definido “a” .
Como saber se diante dos nomes de cidades, estados e países se usa a ou à?
=> Se o nome é feminino e pode ser precedido pelo artigo a, existe a possibilidade do uso do a craseado.

Cidades
Não se usa o acento indicativo de crase diante dos nomes de cidades, porque eles repelem o artigo definido. Vejam:
Venho de Florianópolis. // Ele mora em Curitiba. // Estivemos em Vitória. // Salvador é uma festa.
Sem crase, então, antes dos nomes das cidades:

– Vamos a Salvador.
– Bem-vindos a Blumenau.

Estados
Só dois estados brasileiros admitem a crase: a Bahia e a Paraíba.

Os demais ou são nomes masculinos ou não são determinados pelo artigo (Alagoas, Goiás, Mato Grosso, Minas Gerais, Pernambuco, Rondônia, Santa Catarina, São Paulo, Roraima, Sergipe)

– Bem-vindos à Bahia.
– Vamos à Paraíba e a Santa Catarina.
– Esse patrimônio pertence a Goiás.
– Refiro-me ao Pará e ao Amapá.

Países
A presença do a craseado diante de um nome de país depende de esse país ser determinado ou não pelo artigo definido.

Entre os países que levam artigo, alguns são masculinos (o Canadá, os Estados Unidos, o Japão, o Chile…), outros são femininos (a Rússia, a Venezuela, a Argentina, a Índia…).

– Bem-vindos à Argentina.
– Refiro-me à França, à Polônia e à Espanha.

Travessões e parênteses – quando usar. Travessão não é hífen

Travessão

Uma observação importante: travessão não é hífen.

O hífen tem dois empregos:

– Liga o pronome átono ao verbo (vende-se, diga-me).
– Forma palavras compostas.

Usos do travessão:

1) Os travessões dão realce àquilo que delimitam, em geral uma explicação ou detalhe da informação apresentada imediatamente antes:

– O Estado do Rio – o mais afetado pelas chuvas – precisa de ajuda.

2) O travessão serve também para introduzir diálogos:

Esta é a história de um sujeito que só falava palavras começadas pela letra “F”.

O sujeito chega ao restaurante, senta-se e, acenando com o braço, diz:

– Faz favor, firmeza, fineza fazer frango frito!

– Pois não. Com quê, cavalheiro?

– Farofa, feijão, fritas.

(Para conhecer a história completa, clique aqui.)

Parênteses

Atenção: “parênteses” é o plural de “parêntese”:

– Abra parêntese. // Coloque entre parênteses.

Os parênteses dão a ideia de algo a mais. O trecho contido neles é secundário, acessório. É, em geral, uma explicação, um comentário ou uma reflexão, adicionando uma informação que não altera o sentido principal.

Para saber se o uso dos parênteses está correto, leia o texto omitindo o trecho entre parênteses. Se ele fizer sentido, os parênteses foram bem empregados.

– O senador é investigado por ter recebido propina quando era governador de Minas Gerais (2003-2010).

– No acidente com o avião da TAM (9 de junho) morreram 189 pessoas.

Palavras compostas – definição, exemplos, plural

Palavras compostas – definição, exemplos, plural
Betty Vibranovski

O que as palavras abaixo têm em comum?

Samba-enredo, bate-papo, maus-tratos, má-fé, boa-fé, primeira-dama, primeiro-ministro, matéria-prima, lugar-comum, meio-termo, meio-tempo, cara-metade, meia-idade, meia-entrada, meia-estação, meio-irmão, meia-voz, meia-tigela,  alto-mar, alto-falante, mal-estar, bem-estar, público-alvo, lua de mel, mão de obra, fim de semana, pôr do sol, palavra-chave

Resposta: São todas palavras compostas.

Leia nesta postagem:

  • O que são palavras compostas.
  • Quais são os tipos de palavras compostas.
  • Como fazer o plural de palavras compostas.

—–

Palavras compostas são formadas por dois ou mais termos que, unidos, formam um termo com outro sentido, equivalendo a uma só palavra.

Veja a diferença nas frases a seguir:

  • O atual primeiro-ministro de Israel é Benjamin Netanyahu.
  • O primeiro ministro a chegar à reunião foi Joaquim Levy.

 

  1. Substantivos Compostos

Substantivos compostos são aqueles formados a partir de mais de um radical, unidos ou não por hífen. Exemplos: pé de moleque, primeiro-ministro, bate-papo, curto-circuito, força-tarefa.

Os substantivos compostos podem ser:

 

 1.1 Substantivo + Substantivo

Dois substantivos, que, unidos, formam um novo sentido.

Exemplos: licença-maternidade, beira-mar, palavra-chave, palavra-chave, samba-enredo, matéria-prima, cara-metade, seguro-desemprego, vale-transporte, obra-prima, salário-família, redator-chefe, primeiro-ministro, primeira-dama.

Plural: flexionam os dois.

Exemplos: redatores-chefes, couves-flores, primeiros-ministros, primeiras-damas.

Quando o segundo substantivo limita a significação do primeiro, valem as duas formas de plural: palavras-chaves ou palavras-chave, salários-famílias ou salários-família, horas-aulas ou horas-aula.

 

1.2 Substantivo + Adjetivo (ou Adj. + Subst.)

Pode ser substantivo + adjetivo  ou  adjetivo + substantivo. Quando estão unidos por hífen, formam uma palavra com um significado diferente das partes.

Exemplos: cachorro-quente, mesa-redonda, alto-falante, alto-mar, sangue-frio, má-fé, lugar-comum, meio-termo, meia-voz, meia-estação, meio-irmão, baixo-relevo, criado-mudo.

Plural: flexionam os dois.

Exemplos: baixos-relevos, criados-mudos, cachorros-quentes.

 

1.3 Verbo + Substantivo

Substantivos compostos que têm uma forma verbal em sua composição.

Exemplos: para-brisa, bate-boca, bate-papo, porta-joias, porta-copos, marca-passo, bota-fora, vira-lata, guarda-chuva.

Plural: O verbo não flexiona.

Exemplos: Não sei para que tantos guarda-costas! // Todos os guarda-chuvas são pretos. // Os novos para-brisas são muito caros.

 

1.4 Substantivos compostos intermediados por elemento de ligação

Conforme o Novo Acordo Ortográfico, não se usa o hífen nas palavras compostas que contêm formas de ligação (preposição, artigo, conjunção ou pronome).

Exemplos: dia a dia, pôr do sol, café da manhã, fim de semana, boca a boca, corpo a corpo, chá de cadeira, mão de obra, lua de mel, ponto e vírgula, disse me disse, maria vai com as outras, pé de moleque, passo a passo, dor de cotovelo, calcanhar de aquiles, conto do vigário, jardim de infância.

Plural: Só flexiona o primeiro termo.   Exemplos: pães de ló, luas de mel, mãos de obra.

Exceções:

a) Os compostos que empregam d’. Exemplos:queda-d’água, marca-d’água, caixa-d’água etc.

b) Fauna e flora. Os nomes compostos de animais e plantas são sempreescritos com hífen.

Exemplos de vida animal: bem-te-vi, bicho-da-seda, joão-de-barro, gato-do-mato, louva-a-deus.

Exemplos de vida vegetal: dama-da-noite, batata-doce, cana-de-açúcar, castanha-do-pará, chá-da-índia, pimenta-do-reino.

c) E  as exceções a seguir: água-de-colônia, mais-que-perfeito (forma verbal), pé-de-meia (as economias de uma pessoa).

 

 2 Adjetivos Compostos

Adjetivos compostos são formados por dois adjetivos. O primeiro elemento é invariável, ficando sempre no masculino e singular.  Ou seja, só o segundo termo é flexionado.

Exemplos:

  • Ele é assistente técnico e assistente legislativo => Ele é assistente técnico-legislativo.
  • Fez um relatório sobre a situação econômica e financeira da firma => Fez um relatório sobre a situação econômico-financeira da firma.
  • Foi necessária uma intervenção clínica e cirúrgica. => Foi necessária uma intervenção clínico-cirúrgica.
  • Trataram de questões histórico-culturais.
  • Discutiram as questões político-sociais do país.

 

Adjetivos pátrios:

Exemplos: cultura greco-romana, tradição afro-americana, instituto anglo-americano, interesses luso-brasileiros, literatura latino-americana.

Atenção:  os elementos de composição “afro”, “anglo”, “euro”, “franco”, “luso” e outros se juntam ao radical sem hífen quando funcionam como uma locução adjetiva.  Exemplo: Ele é afrodescendente.

Flexão do infinitivo

Flexão do infinitivo
Betty Vibranovski

Qual frase está correta?
1) Ele convenceu os colegas a participar do projeto.
2) Ele convenceu os colegas a participarem do projeto.
3) Ambas estão corretas.

 

Caso

Flexão 

Exemplos

Infinitivo pessoal com sujeito diferente do sujeito do verbo da oração anterior obrigatória Farei o possível para os hóspedes terem conforto aqui em casa.
Infinitivo pessoal com sujeito igual ao do sujeito da oração anterior optativa Fomos à escola para conversar/conversamos com a diretora.
Infinitivo pessoal com verbo antes do sujeito obrigatória Para conversarem com a diretora, eles foram à escola.
Infinitivo regido por preposição e que funciona como complemento de substantivo ou adjetivo proibida Eles foram proibidos de entrar.  // Elas não têm chance de vencer.  // Somos obrigados a entregar a declaração.
Infinitivo regido por preposição e que funciona como complemento de verbo optativa Ele convenceu os colegas a participar/participarem do projeto.
proibida Complemento representado por pronome:Ele os convenceu a participar do projeto.
Infinitivo na voz passiva, verbo reflexivo ou pronominal obrigatória Tiveram receio de ficarem perdidos. // Viviam juntos sem se conhecerem. // Tinham medo de se arrependerem
Verbos deixar, fazer, mandar, ouvir, sentir ou ver + infinitivo optativa Se o sujeito do infinitivo não for pronome oblíquo:Deixe as pessoas entrar/entrarem. // Ouvi os pássaros cantar/cantarem.
proibida Com pronome oblíquo:Faça-os sair. // Não os ouvi chegar.
Locução verbal proibida Eles devem chegar logo. // Queiram comparecer ao balcão de informações.